Quem são as 4 brasileiras naturalizadas que protagonizaram suspensão de Ruanda do Africano?

Um verdadeiro escândalo vem atingindo o Campeonato Africano de Voleibol nesta semana. Seu epicentro é Ruanda, a seleção anfitriã do torneio, dirigida pelo técnico brasileiro Paulo de Tarso. 

Supostamente por intermédio do treinador, o país decidiu naturalizar quatro jogadoras brasileiras, o que acabou fazendo com que o nível de sua seleção subisse. 

Seleção de Ruanda passou a ser dirigida por Paulo de Tarso em 2021 (Foto: reprodução)


Mediante a isso, os adversários de Ruanda no Grupo A, Nigéria, Marrocos e Senegal, registraram uma denúncia na Confederação Africana (CAVB) por irregularidades do país nos processos de naturalização. 

A CAVB acatou a denúncia, confirmada nesta sexta-feira pela Federação Internacional (FIVB). Ruanda foi suspensa do Campeonato Africano e todos os seus jogos serão classificados como derrotas por 3 a 0.

Quem são as jogadoras?

As quatro atletas naturalizadas pela seleção de Ruanda são brasileiras em quatro posições:

Aline Siqueira (Wime): oposta de 32 anos que joga no Maccabi Nazareth de Israel desde 2019. Foi a maior pontuadora de Ruanda nos dois jogos com 19 pontos em ambos. Sua última passagem no Brasil foi na temporada 18/19, quando defendeu Curitiba. Também já atuou por São Caetano, Rio do Sul, São Bernardo, dentre outros.

Bianca Moreira: experiente ponteira de 42 anos, renovou recentemente seu contrato com o Clube Campestre para a disputa da Superliga C. Só foi titular contra a Nigéria, quando marcou 15 pontos. Tem vasta experiência, inclusive por grandes clubes, tendo atuado em Osasco, Rio de Janeiro, Minas, Pinheiros, Valinhos, Balneário Camboriú, Campinas, Rio do Sul e Mackenzie.

Wime e Bianca vibram durante primeira partida do Africano (Foto: CAVB)


Mariana Barreto: levantadora de 28 anos e titular absoluta da seleção ruandesa. Mariana ainda joga no Brasil, defendendo o Unilife Maringá. Também já atuou por clubes da Superliga principal, como o Renata Valinhos, o Brasília Vôlei e o extinto Flamengo.

Caroline Taiana Apolinário: central de 28 anos, tem uma carreira profissional mais modesta, longe da Superliga nacional. Seu último clube do qual encontramos registro foi o XI de Agosto, da região de Sorocaba. Em Ruanda é titular e tem 20 pontos em dois jogos.

Ex-Brasília, Mari Barreto é a levantadora titular de Ruanda (Foto: CAVB)

Ruanda pode fazer isso?

Não existe nenhuma regra que limite o número de jogadoras que podem ser naturalizadas por uma seleção, a não ser que elas tenham defendido a seleção adulta de seus países. Não é o caso de Wime, Mari, Camila e Taiana.

No entanto, essas jogadoras precisam acatar algumas regras, como mudar de federação e comprovar residência ou trabalho no país de origem por um número específico de meses. A alegação dos rivais da anfitriã é que Ruanda não cumpriu esse prazo.

Ruanda está suspensa, assim como sua Federação e consequentemente eliminada do Africano. A seleção havia conquistado uma inédita classificação à semifinal. A FIVB também recomendou à CAVB que aplique punições e acione o Ministério dos Esportes ruandês. 

A pergunta que fica é: como a CAVB aceitou os registros de quatro jogadoras supostamente  irregulares? A Federação Ruandesa (FRVB) já entrou com recurso para anular a decisão.

Se confirmada, infração pode tirar Ruanda das competições da FIVB por anos (Foto: CAVB)


Com informações de World Of Volley e The New Times

Comentários

  1. Os burocratas da CAVB erraram, por negligência ou incompetência. Cabe a entidade a responsabilidade de checar e analisar a documentação das atletas estrangeiros e de acordo com as normas da FIVB, reter ou liberar. Houve falha sim.

    ResponderExcluir
  2. Gustavo, obrigado por divulgar informação de outros centros do voleibol, no caso o africano.

    ResponderExcluir
  3. Quem sou eu pra julgar, mas essas 4 brasileiras e o técnico demonstraram ser péssimos profissionais. Profissionais medíocres não merecem vida longa no esporte. A conta uma hora chega, e chegou mais cedo que esses indivíduos que nunca conseguiram nada por méritos próprios esperavam.

    ResponderExcluir
  4. Rapaz, se fizessem isso com o futsal só ia restar umas três seleções. Só tel brasileiro nas outras seleções, parece um Brasileirão.

    ResponderExcluir
  5. Nenhuma surpresa, vindo de um treinador como o embuste de Tarso!

    ResponderExcluir
  6. Grande Wime. Para quem não se lembra, Wime é aquela que deu na cara da Herrera há bastante tempo. Só não tenho certeza se Herrera jogava pelo Praia Clube ou pelo Minas. Só sei que provocou tanto que a Wime se irritou e deu um tapa na cara dela. kkkk

    ResponderExcluir
  7. O jeitinho brasileiro de ser. Next.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Obrigado por comentarem aqui, mas peço que vocês façam isso com respeito para mantermos um nível de discussão agradável. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. É um prazer voar com vocês! ;)