Sesi Bauru apresenta a levantadora Dani Lins

O Sesi Vôlei Bauru apresentou nesta terça-feira, 7, em Bauru, a levantadora Dani Lins como reforço para a temporada 2019/2020. Após o anuncio oficial da contratação da oposta azeri Polina Rahimova, no último sábado, a levantadora também se junta ao grupo do interior paulista.

Danielle Rodrigues Lins dos Santos tem 1,83m de altura, 34 anos e é pernambucana de Recife, onde iniciou sua trajetória no voleibol atuando no Sport. Também teve passagens por Osasco, Rio de Janeiro, Sesi-SP, Pinheiros e o Hinode/Barueri, equipe em que defendeu na temporada passada. Primeira atleta contratada pelo Sesi-SP para integrar o recém-formado time de vôlei feminino, a atleta chegou ao time da indústria em 2011 e permaneceu por três temporadas, até 2014.

Dani Lins foi apresentada nesta terça (Foto: Marcelo Ferrazoli/Assessoria Sesi Vôlei Bauru.)


A levantadora tem currículo recheado de conquistas. Defendendo a seleção brasileira foi campeã olímpica em Londres 2012, tetracampeã do Grand Prix e campeã pan-americana em 2011. Em clubes a atleta também contabiliza diversos títulos: cinco da Superliga, sendo uma com Osasco e quatro com o Rio de Janeiro, e campeã sul-americana de clubes pelo Sesi-SP, em 2014.

A atleta ressaltou sua felicidade em voltar a defender o Sesi-SP e mostrou otimismo sobre o desempenho da equipe na próxima temporada. “Estou muito feliz de voltar ao Sesi após cinco anos. Agora mais experiente, mãe, mais paciente e mais focada nos objetivos. A expectativa é muito boa para a próxima temporada, pois estão montando um time forte, competitivo e com o objetivo de chegar à final da Superliga. É um grupo muito bom, que mistura juventude com experiência e, por isso, estou com as melhores expectativas e vibrações possíveis. Já fomos muito bem na temporada passada, quando ganhamos o Paulista e chegamos às semifinais da Superliga, mas os objetivos têm de ser maiores a cada nova temporada”, destacou a levantadora.

Dani Lins também revelou ter recebido outras propostas, inclusive para atuar fora do País, mas enfatizou que a estrutura oferecida pelo Sesi Vôlei Bauru e a qualidade do elenco em formação para a próxima temporada foram alguns dos fatores determinantes e que pesaram muito em sua escolha para acertar com a equipe.

“Prezo muito por uma boa convivência de grupo, com jogadoras de boa índole. E, quando começaram a falar nas jogadoras que pretendiam trazer, considerei que seria muito bom retornar para o Sesi. Além disso, vou estar de casa nova, porque é fora de São Paulo, onde já estou há quase dez anos morando, e será uma experiência boa com a Lara (filha de Dani Lins) morar no interior. Até brinquei que vou morar em uma casa, que era o meu sonho. Então, todos esses fatores se juntaram, como a qualidade do time, a estrutura, que já conheço, a comissão técnica e o grupo de atletas, para que eu me decidisse a vir para cá”, conclui a levantadora.

Resultado de imagem para dani lins sesi
Dani Lins já defendeu a camisa do Sesi, antes em São Paulo (Foto: reprodução)

Texto: Assessoria de Comunicação Sesi Bauru

Comentários

  1. Dani - Naiane
    Rahimova - ?
    Tássia - Keyla
    Mayhara - Andressa - Valquíria - Flávia
    Tifanny - Wilhite - Gabi Candido - ??

    Um time digno de pódio da Superliga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas para um frequentador do blog e torcedor praiano fanático, que ainda está atordoado pela surra de campeonatos dada pelo Minas, não dá para apontar favoritos ainda KKKKKK.

      Excluir
    2. Favorito em teoria, na prática é outra história. Como na SL passada, que o Bauru tinha um timasso também, inferior a esse futuro, é claro, mas que poderia incomodar bem mais o time do Praia, mas não foi o que se viu na semifinais. Simplesmente o time paulista sumiu e nem parecia que tinha eliminado com autoridade o "todo poderoso Rio"! Que o time tem peças boas, tem, mas tem que dar liga, ter entrosamento. Como o Próprio Praia nessa ultima SL. Tinha um time até superior ao do ano anterior, mas não conseguiu encontrar o entrosamento ideal entre a levantadora e alguma atacantes.

      Excluir
    3. E o praiano caiu no meu bait KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Que previsível. Isso só corrobora o que eu falei anteriormente.

      Excluir
  2. Espero que ela acerte a bola da Rahimova.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ela acertar como acertou com a Skowronska o Sesi Bauru pode sonhar alto.

      Excluir
  3. Que diferença de uma foto pra outra em Dani Lins :D.
    Rahimova é a segunda recordista mundial de pontos em uma partida (58 pontos), o que mostra que ela tem bala na agulha.

    ResponderExcluir
  4. Em algum lugar do Instagram eu li "voces não podem ir com o sensacionalismo do Tofly" kkk morri, é um dos poucos lugares onde ainda temos liberdade de expressão voleibolistica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh coitado de mim hahaha
      Pode vir que a casa é sua, Bruno <3

      Excluir
  5. Dani Lins poderia voltar a jogar conscientemente e agressivamente como em Londres (2012), não? Ela ainda é muito habilidosa, mas falha muito na distribuição para uma levantadora de 34 anos e campeã olímpica.

    Gosto muito mesmo dela, mas queria ver aquela Dani lúcida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se a fase no Barueri foi por conta do técnico, isso só vamos saber quando a temporada começar. Todo mundo sabe que Zé tem uma preferência por Amanda e Maira, talvez isso tenha influenciado no jogo da Dani que usou as duas mais do que precisava. Como Tifanny é uma “ponteira” de definição, Poliana é uma oposta que faz muitos pontos, Mayhara tem um bom aproveitamento no ataque, acho que Dani agora vai ter mais opções.

      Excluir
  6. Na primeira foto parece que foi atropelada por um caminhão ou que saiu de casa para a apresentação bem basicona.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Obrigado por comentarem aqui, mas peço que vocês façam isso com respeito para mantermos um nível de discussão agradável. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. É um prazer voar com vocês! ;)