Análise: lista olímpica de Zé Roberto é coerente, mas eu faria algumas mudanças

Por Gustavo Aguiar

O técnico José Roberto Guimarães divulgou no último sábado (26) as 12 relacionadas do Brasil para Tóquio. O Brasil vai à esta Olimpíada menos favorito do que nas última duas, mas tem elenco para brigar por qualquer uma das medalhas. 

Particularmente, concordei com a maioria das escolhas do técnico, mas teria feito diferente em duas posições. O Brasil de ZRG é o primeiro elenco olímpico para as análises do To Fly.

José Roberto Guimarães teve lista menos polêmica do que nas duas últimas olimpíadas (Foto: FIVB)


Vagas confirmadas

Ali, na metade da fase de classificação da VNL, a gente já poderia afirmar que 9 vagas estavam garantidas: a levantadora Macris, as opostas Tandara e Rosamaria, as ponteiras Fernanda Garay, Natália e Gabi, as centrais Carol Gattaz e (Ana) Carol e a líbero Camila Brait.

Assim, tínhamos três vagas "em aberto": uma central, uma levantadora e uma ponta-oposta (que poderia ser substituída por uma quarta central ou uma segunda líbero).

A vez de Roberta

Eu sempre achei Dani Lins favorita nesta disputa, mas torcia por Roberta e ZRG me surpreendeu aqui. Atualmente vejo Roberta em melhor momento do que Dani e mais: caberia na mesma justificativa que o técnico usou em 2012, é um estilo de jogo completamente diferente de Macris.

Também senti Roberta melhor na defesa e no entrosamento com as atacantes. Pesava a favor de Dani a experiência, o título olímpico, o crescimento em 2012 que foi imprescindível para o bi-olímpico. Mas são momentos diferentes. Considero o entrosamento de Tandara e Roberta uma arma importante para os objetivos do Brasil. Acredito que Zé Roberto acertou.

Roberta Ratzke foi escolhida em detrimento da campeã olímpica Dani Lins (Foto: FIVB)


Bia não seria minha escolha

E aqui acredito que ZRG tenha errado, com todo respeito. Até o início de 2020, eu não acreditava que Adenízia deveria ir à seleção, mas ela fez uma boa temporada. Sempre temi pelo desempenho físico de Gattaz na seleção, mas ela provou na bola que era dona de uma vaga e da titularidade.

Adenízia seria minha terceira opção pela versatilidade: ela é capaz de fazer uma boa rede de 3, tal como uma rede de 2. Versatilidade é a palavra ideal quando se tem um elenco restrito de 12 atletas.

Mas o principal atributo que me faz considerar Adenízia é aquele que sempre foi destaque na sua carreira: o bloqueio. Estamos na era das seleções pautadas no individualismo de uma grande atacante: Sérvia, Itália, China (essa menos) e uma boa bloqueadora poderia fazer a diferença.

Com todo respeito a Bia, o bloqueio já não é seu forte há algum tempo. Tivemos na VNL problemas físicos de Carol e também precisamos ser sinceros ao dizer que Carol Gattaz não é exímia bloqueadora e por isso uma possível dupla Bia e Gattaz teria um bloqueio bem aquém. Eu teria escolhido Ade.

Ana Beatriz Corrêa, a Bia, é convocação mais polêmica da lista brasileira. Maioria preferia outras opções (Foto: FIVB)


A chance de Ana Cristina

Existem duas formas de se ver a convocação de Ana Cristina: seu uso como uma arma secreta ou uma chance de dar experiência à ela. Francamente, eu acredito que a intenção de ZRG é a segunda, principalmente se continuar seu trabalho como técnico.

Ana é a 5ª ponteira e a 3ª oposta, não acredito que ZRG a usaria como coringa em um momento de crise. Não vejo o técnico escolhendo-a como substituta antes de Rosamaria, o que faria sua presença menos útil nesse sentido.

Ana Cristina faturou última vaga que muitos esperavam ser da veterana Sheilla (Foto: FIVB)


Eu sei que a maioria de vocês vai discordar de mim, mas seria bem mais necessário termos uma exímia passadora nessa vaga. Poderia ser Priscila Daroit, Jaqueline e é uma pena que Gabi Cândido não pôde estar aqui por várias razões.

Desde 2004 não me lembro da seleção brasileira sem uma ponteira reserva que fosse especialista em passe e defesa: tivemos Sassá em 2004, Jaque e Sassá em 2008, Jaque em 2012 e 2016. Nossa especialista em passe é Gabi, titular absoluta devido justamente a essa função, defesa e passe. 

Mas esse elenco é restrito e daí vem a preocupação: não temos uma líbero reserva. Qualquer problema com Brait nos obrigaria a improvisar uma ponteira. E daí a escolha: tirar Gabi do ataque? Colocar Garay ou Natália na função? Expor Tandara no passe?

Com um coringa como Rosamaria, era melhor priorizar o passe. Zé Roberto também teve a opção de levar Adenízia como quarta central, assim como fez na Rio ou Nyeme como uma segunda líbero, a exemplo do que Rússia e Japão já fizeram no passado.

Dá para sonhar com o ouro?

Não vou mentir para vocês: acredito pouco nisso. A China é extremamente favorita e está muito bem em todas as posições. Acredito que o Brasil tem muitas chances de chegar pelo menos a uma semifinal, mas para não ter a vida complicada pelo grupo da morte, precisa superar a Sérvia na fase classificatória.

O Brasil tem time para ser campeão? Sim, o problema é que hoje há duas ou três seleções em patamar teoricamente superior. 

Brasil buscará tricampeonato olímpico depois de sonho interrompido pela China na Rio 2016 (Foto: FIVB)

Comentários

  1. Sinto em discordar de você! Não temos chance nenhuma por enquanto. Precisaremos jogar muito bem com poucos erros e saque forçado obrigatoriamente. E Contar com a SORTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acredito no ouro, mas também não acho impossível.

      Excluir
  2. Acho que o Brasil necessita, antes de qualquer coisa, é uma vibração mais intensa. É uma coisa que sinto falta desde 2017. É comum ver o Brasil ficar apático de uma hora para a outra. A jogadora erra e simplesmente abaixa a cabeça e quando finalmente marca o ponto, não comemora, não incendeia. Gosto muito da Rosamaria por esse motivo, sempre vibra e bate no peito. Outro fato, é o número excessivo de erros seguidos que o time anda cometendo. Não que as jogadoras não tenham o direito de errar, mas é fato de que uma seleção como a do Brasil, não pode errar duas, três bolas seguidas. Foi isso que fez o time perder para os EUA na final. É claro que a seleção ainda tem uma margem pra crescer tecnicamente muito grande - além de possuir ótimas jogadoras que dão conta do recado -, acho que o entrosamento pode evoluir bem mais e outras jogadoras, como Natália, devem adquirir mais ritmo.

    ResponderExcluir
  3. Com Thaisa nossa seleção daria um UP enorme, mas a birra com a CBV e o ego inflado dela tornaram impossível seu retorno a amarelinha.

    O irônico e que após ao quase encerramento de carreira dela em 2017, achei que ela se tornaria um ser mais humilde e agradecido. Ilusão minha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bizarro é que ela voltou toda quebrada ainda para o Mundial 2018.

      Excluir
  4. Concordo com suas colocações. Meu maior problema com essa lista é a Bia. A meu ver ela não merecia nem a convocação para a VNL pelas últimas temporadas muito abaixo. Ela não bloqueia bem há tempos e no ataque é a goteira que conhecemos. Torcer para chegarmos às semi. É possível e creio que passa pela Natália conseguir despontar com a camisa da seleção. Algo que nunca aconteceu em campeonatos importantes .

    ResponderExcluir
  5. Queria entender essa comoção toda com o corte da Adenízia, uma jogadora que sempre viveu à sombra de Thaisa e Fabiana, que nunca provou seu valor na seleção mesmo com a ausência das duas mencionadas e que pediu dispensa duas vezes nesse ciclo, ciclo esse que seria fundamental para se firmar por completo. Bia nesse ciclo, provou ter muito mais coragem e personalidade que ela, sem contar que ganhou dois prêmios individuais nesse ciclo. Mais injusto que o corte da Adenizia, foi a falta de oportunidades de Mayany nessa VNL.

    Pri Daroit? Perdão? (Garay feelings) kkkkkk sem comentários.

    Injustiçadas foram Lorenne e Mara, as duas foram fundamentais para a nossa classificação olímpica em um ano em que sofremos com os problemas físicos e os pedidos de dispensa das "grandes estrelas".

    Rosamaria mediana, conseguiu o feito de ir para uma Olimpiada por ter feito um bom jogo contra a poderosa Itália C, mas já mostrou seu potencial limitado na final contra as chicleteiras quando substituiu Tandara. Boatos que ela é a nossa Coringa. kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adenizia pediu dispensa em 2019 para fazer artroscopia no ombro e em qual outra ocasião?

      Excluir
    2. Foi pra casar em 2019 tbm.

      Excluir
    3. Pediu dispensa da Copa dos Campeões 2017. Nesse campeonato nossa seleção estava bem entrosada e com ritmo de jogo, atropelou as chicleteiras, quase vence a China, mas perdeu pro Japão por 3x2, bizarro demais. Kkkkkkk

      Excluir
    4. Duas semanas antes da Copa dos Campeões 2017, Bia voltou antes da conclusão do Sula por causa da festa de aniversário da mãe dela. /prioridades

      Excluir
    5. Eu fico chocado com a memória de vcs hahaha.

      Eu não vejo problemas com a Pri. Ela fez temporada melhor do que muita ponteira que ficou anos na seleção.

      Excluir
  6. A forma de jogar do Brasil, esta muito marcado.Todos conhecem bem o ZRG. A Thaisa fez duras criticas sobre isso, na olimpiada dp Brasil. Na final contra os EUA no VNL foi nitido isso.

    ResponderExcluir
  7. O Brasil não passa das quartas, essa é a realidade.
    Mayany seria melhor opção que Adenízia.
    Gabi Cândido não é boa no passe, comprometeu bastante na última temporada em Osasco. Pri Daroit também não. Já falei em comentário em outro post: a ponteira passadora que poderia ter sido trabalhada de 2017 pra cá é Kasiely.
    Ana Cristina vai passear no Japão. Eu não sei que tipo de "experiência" essa viagem vai agregar a ela, já que terá zero minutos em quadra. O Brasil não consegue trabalhar jovens. Boskovic, Egonu, a nova esperança russa Fedorovtseva, entre tantas outras: os outros países lançam as jogadoras desde jovens. O Zé Roberto tem fixação por veteranas. Por outro lado, Ana Cristina só terá chances de decolar na carreira se virar oposta. No Fenerbahce, ninguém vai ficar ensinando ela a passar. Se entrar em quadra e quinar um passe, já volta pro banco e para até de ser relacionada para as partidas seguintes. Não vai ter oportunidades, as prioridades do Fener serão Ismailoglu e Fedorovtseva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua bola de cristal é boa hein. Tá sabendo do futuro já rsrs

      Excluir
    2. Kasiely não segurou direito nem o fundo de quadra do Minas, quanto mais da seleção kkk.

      Fedorovtseva tá indo pra fogueira já com 17 anos pq simplesmente não há ponteiras decentes na Rússia. A melhorzinha é Kseniia Parubets, mas ficou fora da Olimpíada por não conseguir recuperar totalmente o joelho a tempo. Voronkova péssima. Kosheleva decadente aposentada da seleção. O que sobrou para o técnico foi investir na novata e esperar que Malova cubra a quadra inteira no passe kkk.

      Excluir
  8. Oi GU, estava esperando um post com resumo da VNL, acompanhei você no tw mas senti falta aqui. Beijo Grande

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante da sua análise. Eu sou muito fã da Ade, ela fez uma temporada muito boa, mesmo depois da cirurgia e acho ela a melhor central entre as convocadas pra VNL, mas como o zé praticamente nem colocou ela pra jogar, acredito que ela nao estava bem fisicamente. Bia acabou sendo a opçao menos arriscada, com as Caróis garantidas e a ja conhecida dificuldade da Mayany quando a bola nao sai com lacinho, a vaga caiu no colo da Bia. Muita gente queria Mayany na seleção olimpica, eu acho que ela tem muito potencial, mas a deficiencia que ela tem no ataque atrapalharia o jogo da seleção.
    Ja sobre a Ana Cristina, vai passear no Japao, mas nao vejo outra jogadora que poderia ir no lugar dela, Sheilla e Lorenne com problemas fisicos, Jaqueline idem, Daroit se queimou na seleção, Candido nao segurou a marimba nem em Osasco, imagina na seleção, talvez se Leia nao tivesse pedido dispensa, poderiamos levar 2 liberos.
    Por fim, acredito que este time pode levar a prata se conseguir escapar da China até a final. Pra mim, hoje, o Brasil só é inferior ao time da China. Servia e EUA completariam a semi. Nunca achei a Italia favorita, Egonu é fora de serie, De Genaro idem, mas as outras sao de medianas pra baixo.

    ResponderExcluir
  10. Nessa final na vnl entre brasil vs eua.todos vcs viram.que o brasil tinha todas condições de vence--las .se não fossem os erros de saque .o Brasil chegou a ficar com o placar a frente .o ze também não tinha pra que tirar a garay e colocar a Natália na quele momento .na minha humilde opinião o brasil cresceu muito .lógico que precisa crescer mais ainda pra chegar em uma suposta final.mais eu crédito nelas.quem manda sao elas tou confiante que elas vão acordar ⏰

    ResponderExcluir
  11. Querido Gustavo que bom que voltou!

    Nós vimos depois dos exemplos de 2004, 2012 e 2016 que olimpíada é momento de jogo. Qualquer coisa pode mudar a história de uma partida. Eu acredito em uma medalha pro Brasil porque o grupo está muito bem entrosado, só precisa fugir de EUA e China nas quartas de final.

    Neste ano não tivemos cortes polêmicos, uma ou outra jogadora poderia ter entrado mas no final das contas a montagem do grupo foi justa.

    Me preocupa muito o próximo ciclo. Quem vai ficar depois das olimpíadas? Já sabemos que não teremos Garay. Quem fica pro proximo ciclo em ano de campeonato mundial que é um titulo que o Brasil nunca conqusitou? Gattaz? Natália? Gabi? Macris? Brait?

    Vamos com um time totalmente jovem e experimental pra próxima VNL a fim de formar a base para Paris 2024? Já se sabe que ZRG vai continuar, mas que jogadoras poderiam representar a seleção a partir do próximo ano?

    A verdade é que o futuro da seleção me preocupa, não percebo a reformulação da equipe, mas jamais deixarei de torcer para a seleção que eu admiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primeira final do Brasil será contra a Sérvia. Se ganharmos esse jogo tendo feito o dever de casa nos outros e a lógica acontecer no grupo da morte, só enfrentaremos a China em uma possível final. Somos mais seleção do que Turquia e Rússia para avançar nas quartas. As semis serão difíceis para os 4 times.

      Excluir
    2. Oi, Diogo. Revitalizaram meu notebook, espero que ele fique bem até o fim de Tóquio =)

      Acho que 2012 e 2016 foram exceções à regra. Brasil e China estavam dentre os favoritos nestes dois anos, assim como os EUA.

      O que aconteceu nos dois casos foi uma série de erros de convocação e adequação de elenco, se me permitem a ousadia haha.

      Em Londres, ZRG acreditou em Fernandinha e começou com Garay no banco. A partir dessas trocas, principalmente da entrada de Dani, o jogo brasileiro muda.

      Mesma coisa com a China: Lang Ping viu Gong e Yang fracassarem absurdamente na saída. Para vencer o Brasil, precisou ousar e trazer Zhang para a saída.

      Brasil em 2012 e China em 2016 começaram mal, fizeram um grande jogo que os impulsionou ao título.

      Chega completamente favorita ao título: a China. Os EUA vêm atrás, a Sérvia e a Itália são incógnitas. O Brasil está entre 4º e 5º, na minha visão.

      Excluir
    3. Diogo, pare de show. Pós Tóquio ficarão Macris, Roberta, Rosamaria, Gabi, Ana Cristina, Bia, Carol. Natalia, Tandara e Brait podem se despedir no Mundial do ano que vem. Quando saírem teremos Lorenne, Kisy, Júlia Bergmann, Drussyla, Diana, Lorena, Mayany, Kenya, Juma, Nyemi, Natinha. Todas essas estão em evolução, Brasil sempre jogou com coletivo, teremos um bom coletivo nos próximos ciclos. Macris, Rosamaria, Gabi, Bia e Carol serão nossas mais experientes. Ana Cristina nossa grande revelação e com apenas 17 anos. A Sérvia acaba pós Tóquio, Maja, Miha e Rasic aposentam. Em Paris a Itália e China junto com os EUA devem se manter. Brasil virá bem renovado, mas eu sempre acredito no nosso coletivo pra trazer medalhas. Tem que trabalhar o psicológico dessas meninas e dar rodagem pras que o Zé julgar que serão as melhores.

      Excluir
  12. Dia 31/07 será determinante para fechar os cruzamentos do mata-mata no feminino.

    23:05 (do dia 30/07) = EUA e Rússia;
    4:25 = Brasil e Sérvia;
    7:40 = Japão e Coreia do Sul;
    9:45 = China e Itália.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, por favor, vamos opinar sem ofender as atletas s2'

      Excluir
    2. Pq removeu meu comentário???

      Excluir
  14. Quem bom ler teu novo post, Gustavo! Tuas análises fazem muita falta! A escolha das 12 jogadoras para Tóquio foi menos polêmica em relação a 2012 e 2016. A Bia não vive sua melhor fase, mas quando atuou pela seleção ela se apresentou bem. Acredito que esse fator pesou a favor dela. A Ana Cristina eu não levaria para as olimpíadas. Acho que ela terá outras oportunidades mais para frente. Gostaria que a Lorenne fosse a escolhida pelo excelente ano de 2019 que ela teve na seleção. Se os jogos olímpicos fossem no ano passado, a Lorenne seria a escolhida. O que deve ter atrapalhado a jogadora foi a questão física, mas acho ela mais confiável para ser oposta reserva da Tandara. Foi acertada a decisão de não levar Sheilla e Dani Lins. Rosamaria está tendo a oportunidade dos sonhos. Espero que ela corresponda as expectativas.

    ResponderExcluir
  15. Como meus comentários/deboches no post anterior saíram quase na mesma hora desse post, vou colocá-los novamente: kkkkkkk

    Mesmo sendo fã da Sheilla, achei bem feito esse corte olímpico, tava se achando demais, vivia cornetando/desdenhando companheiras de profissão e teve a empáfia de ir jogar o rachão da Bubballoo às vésperas de uma Olímpiada difícil e super disputada. Vendo ela nos stories do Insta ela tá mais abatida que político que perdeu a eleição. O auge foi ontem: vi alguém perguntando nos stories se ela achava a chicleteira Drews mediana? E ela disse que NÃO. Fó7 pode debochar com gosto da CORTADA de Tokyo.

    Pani Lins foi mais tombada que Karol com K (detesto BBB, mas não poderia perder esse meme), já tinha até gravado vídeo pra Grobo confirmando presença em Tokyo. Poli pode afrontar com tudo. Kkkkkkkkk

    Fontes fidedignas que Berronizia estaria entre as 12 do Zé Pamonha, mas o DJ do Ressuscita-me se adiantou e confirmou presença em Tokyo, Zé Panela ao saber desse reforço mandou Berronizia pra casa atualizar o Spotify da Aline Barros. Ela, Yuan e Veljkovic poderiam formar o trio sertanejo das Gralhas Gritadeiras. BEEERRROOO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terzic tem um grande problema no meio. Rasic decadente semi-aposentada tá bem longe do que foi na Rio 2016. Gralha recém parida fora da Olimpíada. Stevanovic tbm fora por problemas com o velhote. Popovic mediana. Aleksic é a melhorzinha e tbm a mais jovem.

      Excluir
    2. Sérvia vem decaindo desde o Pré-Olimpico Mundial, quando penou pra vencer as polacas que deitaram naquele quarto podendo ter levado o jogo para tie break, no Europeu idem, quase perdem o título para as pândegas turcas, num jogo disputadíssimo, os saques da Busa #oauge foram fundamentais pro título sérvio. Brasil tem time pra bater a Sérvia e ficar em primeiro no grupo, mas nossa seleção atual tem tido dificuldades com times mais altos.

      Excluir
    3. Smarzek pipocou no final dos dois jogos que poderiam levar a Polônia para Tóquio.

      Ainda tem a queda assustadora de rendimento da Miha. O pior ponto da Sérvia com certeza são as pontas, uma mais medíocre do que a outra.

      Excluir
  16. Concordo com 11 das 12 convocadas para Tóquio!!
    Só não levaria a Ana Cristina, em seu lugar colocaria a Lorene!!
    Boa Sorte Meninas!!
    Boa Sorte Zé Roberto!!

    ResponderExcluir
  17. Se tivermos sorte, os eua e china se bicam em uma semi, n vejo o Brasil conseguindo vencer ambas seleções para conseguir um eventual ouro.

    ResponderExcluir
  18. Oi gu, sdds :). Espero que fique aqui até o final da Tóquio.
    Acho que a Ana Cristina não vai ser utilizada na Tóquio. ZRG não é desses de usar arma secreta, de esconder jogo. Ele usa as mesmas atletas, no máximo faz uma inversão 5x1 (e ainda faz mal).
    Acho que o Brasil passa das quartas desde que tenha sorte de pegar Turquia ou Rússia, caso contrário não.
    Mas gente, convenhamos, olimpíada acontece de tudo. Quem me garante que a Itália não perca jogos pra USA e China é faça um jogo apertado com a Turquia e acabe passando em 4° no grupo???
    Uma quartas de final entre Itália X Brasil, sei não hein. Já vimos que o ZRG não consegue marcar uma grande atacante (rio2016 nao parou parou Zhu, mundial de 2018 não parou a Boskovic)
    Egonu vem virada no samurai, com facas nos dentes.

    ResponderExcluir
  19. Mesmo com esse time manjado
    Acredito que o Brasil chegue entre os 4.
    Mas tem que ficar ao menos em segundo do seu grupo.
    Acho que a Sérvia não vai perder pra nós.
    A Bosko está voando.
    A Sérvia vai pra final com a China.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a final da Rio16 se repetir, espero novamente que a China vença e cale a boca das arrogantes servias kkkkkkk
      Acredito que o Brasil se jogar no seu máximo pode brigar pelo bronze!!!

      Excluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Obrigado por comentarem aqui, mas peço que vocês façam isso com respeito para mantermos um nível de discussão agradável. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. É um prazer voar com vocês! ;)