Naturalização: os investimentos da França, as polêmicas e como isso é comum na Europa

Paris será a sede dos Jogos Olímpicos em 2024 e já faz um bom tempo que a Federação Francesa (FFVB) planeja uma evolução no voleibol feminino no país. O investimento vai desde o Campeonato Francês até mesmo em processos de naturalização e o assunto voltou à tona neste sábado (28), quando o jornalista Bruno Voloch afirmou que a brasileira Ana Cristina Souza, de 1m91 e 15 anos, melhor ponteira do último Mundial Sub-18, recebeu proposta para estudar e atuar pela França. 

Seleção francesa pode ganhar reforços para 2024 (Foto: FFVB/reprodução)

De belga a francesa

Embora a informação sobre Ana Cristina não tenha sido confirmada, a França já tem uma naturalização encaminhada: a levantadora Aziliz Divoux pediu a federalização francesa. Divoux já tinha dupla cidadania por ser filha de francês, mas precisa ser reconhecida pela FIVB como jogadora do país e não mais da Bélgica, seleção que já defendeu. 

Para isso, a levantadora se fastou da Bélgica desde 2018 e tem que aguardar um total de dois anos desde a efetivação do pedido. Passado esse prazo, Divoux passa a ser considerada francesa, tanto para a seleção quanto para o campeonato nacional.

Aziliz Divoux vai trocar Bélgica pela Franca (Foto: reprodução)

Duas naturalizadas? 

Aí vocês devem estar se perguntando: duas jogadoras naturalizadas podem atuar pela mesma seleção? Sim, desde que não tenham defendido sua seleção adulta. A FIVB especifica em seu regulamento: "Apenas uma (1) jogadora que jogou anteriormente por outra seleção da mesma categoria de idade pode fazer parte de uma equipe, para um determinado evento". 

Ana Cristina nunca defendeu a seleção adulta e na hipótese de se naturalizar francesa, poderia jogar junto a Divoux. 

O clássico caso sérvio

O continente europeu é cheio desses exemplos. O mais explícito é com os pilares do voleibol sérvio: Tijana Boskovic e Brankica Mihajlovic. As duas nasceram na Bósnia e Herzegovina e as duas se naturalizaram sérvias, mas os processos são diferentes. 

Boskovic foi federada bósnia e começou a carreira em um time do país, o ŽOK Hercegovac. Se destacou e recebeu proposta do Vizura Beograd, time sérvio, e posteriormente para se naturalizar pelo país. 

Com Mihajlovic foi um pouco diferente: ela começa atuando pelo Jedinstvo Brcko, da Bósnia, vai para o Volero, é convocada à seleção e defende a Bósnia até 2011. Mas em 2012 a Sérvia enfrentava cerca de sete lesões em sua equipe principal e foi oferecida a naturalização à jogadora. 

Dizem que Mihajlovic foi inclusive o pivô da alteração na regra que tornou a naturalização mais rígida com a inclusão do prazo de 2 anos para defender seleções diferentes, já que até 2012 a troca era imediata. 

Será que a Bósnia venceria a Sérvia com Mihajlovic e Boskovic? Atacantes são naturalizadas (Foto: CEV)

E porque Ismailoglu foi suspensa?

Por um erro da FIVB. A naturalização de Meliha Ismailoglu foi solicitada em 2013, primeiro ano em que vigorava a regra dos 2 anos, que citamos acima. O caso de Meliha é exatamente o mesmo de Boskovic: federada bósnia, nunca defendeu a seleção principal e pediu a naturalização turca. O problema é que a FIVB só suspendeu a jogadora seis anos depois de autorizar o procedimento, exatamente antes do qualificatório olímpico de 2019.

Meliha Ismailoglu é bósnia naturalizada turca (Foto: reprodução/Twitter)

Isso é comum?

Mais do que imaginamos. Assim como Sérvia e Turquia, países como Itália, Rússia e Azerbaijão buscam jovens ou atletas consagradas e oferecem a elas a naturalização. Temos como exemplos Nataliya Goncharova (Ucrânia-Rússia), Anna Makarova (Ucrânia-Rússia), Jana Kulan (Eslováquia-Azerbaijão), Taismarys Aguero (Cuba-Itália) e Carolina Costagrande (Argentina Itália).

Por fim, naturalizações são comuns, ainda que possam significar obtenção de vantagem sob os adversários. A discussão é complexa, mas a verdade é que todos os países podem fazer isso e é direito de todas as jogadoras decidirem onde querem jogar e de qual país serão cidadãs. O papel das federações, como é o caso da CBV, é investir no esporte e dar condições para que isso não aconteça. Sem investimento, nenhum esporte no mundo está a salvo.

Ana Cristina Souza é uma das maiores esperanças do futuro do voleibol brasileiro (Foto: FIVB)

Comentários

  1. Haak tbm recebeu proposta da frança?

    ResponderExcluir
  2. Até pesquisei, Carlos, mas Não achei nada sobre isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haak recebeu sim proposta, qndo jogava num clube frances. Parte da familia dela é de lá. Mas ela nao aceitou na epoca.

      Excluir
  3. CBV é um lixo e a administração do Radamés Lattari é medíocre.

    ResponderExcluir
  4. Falando nisso, como estão os velhos rumores de que Melissa Vargas se naturalizaria turca?

    ResponderExcluir
  5. Interessante como a Bósnia teria um ótimo trio de ataque hehehe...... Já pensaram se fosse Iugoslávia? Juntava a Fabris, pqp!! Viajei né rsrsrs

    Enquanto no feminino, a gente vê "sobrando" apenas a Haak, no masculino sempre há vários ótimos jogadores órfãos de uma seleção forte.

    Se eu fosse dirigente de seleções medianas ou decadentes, eu ia importar umas cubanas hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há várias jogadoras que tbm 'sobram'. A própria Fabris carrega a seleção croata nas costas.

      Excluir
    2. Eu na verdade queria me referir a seleções que jogam campeonatos internacionais. Além da Haak, me lembrei agora da Rykhlyuk.

      Excluir
    3. A Croácia tbm joga campeonatos internacionais LOL. Há muitos exemplos além da Haak nesse contexto:

      Jaja Santiago - Filipinas;
      Bricio - México;
      Vasilantonaki - Grécia;
      Jack - Trinidad & Tobago etc.

      Excluir
    4. Então, lek, eu na verdade queria me referir a jogadoras do primeiro escalão LOL

      Excluir
    5. Rykhliuk é de primeiro escalão, mas Fabris, Bricio e Vasilantonaki não? LMFAOOO Absolutamente todas elas são ótimas jogadoras, já passaram por grandes clubes e defendem seleções nacionais medianas pra baixo, exatamente como a Haak.

      Excluir
    6. Claro que Fabris é primeiro escalão, lol... Mas não é "órfã". Por mais que seja zuada, a Croácia disputa os campeonatos internacionais. A ucraniana é protagonista em seus times, já Bricio e Vasi não sei... hahahahahaha, ou melhor, LMFAOOOOO

      Excluir
    7. Ucrânia, Croácia, México e Grécia disputam campeonatos internacionais. O fato é que tais seleções medianíssimas são praticamente carregadas nas costas pelas atletas já citadas, exatamente como que ocorre com a Haak em relação à Suécia. Releia a thread inteira - iniciada por você mesmo - e veja que a sua linha de argumentos não se sustenta.

      RSSSSSSSS

      Excluir
    8. Mediana Rykhliuk de primeiro escalão e Fabris não? Caminhoneirona Fabris é muito mais jogadora que a Barbie ucraniana. E não se esqueçam que a Croácia ainda tinha em sua seleção a ótima Katarina Barun-Susnjar responsável pelo único título italiano do Novara junto com Dijkema, Plak e Pietersen na temporada 2016-2017.

      Excluir
    9. Tinha a Poljak tbm. Croácia já foi uma seleção realmente competitiva no final dos anos 90. Agora passa por um processo de renovação encabeçado pela Fabris e comandado pelo marido da De Gennaro.

      Excluir
    10. rsrs, prezado Anônimo, lá vem minha "déplica" hehehe.... Nem vem, minha linha de argumento se sustenta sim rsrsrs. Eu disse Haak órfã de seleção forte = seleção que não disputa torneios importantes. França, Filipinas, Trinidad e Grécia nunca disputam torneios internacionais, México e Ucrânia de vez em quando. Já a Croácia da super Fabris (nunca disse que ela não era top, muito pelo contrário (o outro anônimo se confundiu)) está sempre nos torneios e sempre tem uma ou outra jogadora como a própria Barun e Poljak. No caso, as órfãs não conseguem nem mesmo carregar as seleções para outro nível, tipo Pirv que não conseguia elevar a Romênia. Kim, assim como Fabris, foi estrela solitária, mas também numa seleção que tinha mais recursos que as do segundo escalão (das órfãs srs). Prontoooo, chega, caraio hahahaha

      Excluir
    11. Não.

      O seu primeiro comentário foi péssimo. "Enquanto no feminino, a gente vê "sobrando" apenas a Haak, no masculino sempre há vários ótimos jogadores órfãos de uma seleção forte." Já ficou bem claro que não é só a Haak que está nessa situação.

      Eu não citei a França na thread, apesar da matéria ser sobre a seleção de tal país. Trinidad & Tobago jogou o Mundial, assim como o México. Croácia foi ao PO - Bricio e cia tbm levando as dominicanas ao tie - e quase eliminou a Turquia nas oitavas do Europeu. Filipinas, Ucrânia e Grécia jogam torneios importantes a nível continental, EXATAMENTE COMO A SUÉCIA DA HAAK.

      Barun e Poljak não jogam mais pela seleção croata há anos. A primeira ainda joga no Japão e a última se aposentou das quadras em 2017 LOL.

      Kim foi um fenômeno em 2012. Não faz muito sentido compará-la com a Fabris na seleção croata, mas enfim.

      Excluir
    12. "Tinha a Poljak tbm. Croácia já foi uma seleção realmente competitiva no final dos anos 90. Agora passa por um processo de renovação encabeçado pela Fabris e comandado pelo marido da De Gennaro".

      É verdade, como pude ter esquecido da Rainha das Caminhoneiras (sorry Sula Miranda, Aelbrecht e Bia) Maja Poljak, Majão era um centralzão da porra, e aquela vozeirão grosso metia (sem duplo sentido) grande medo nas adversárias. Kkkkkkk

      Excluir
    13. Kkkk Ela era boa mesmo. Depois de aposentada das quadras, Maja se mudou para Luxemburgo a fim de trabalhar na CEV.

      Aelbrecht namora a Plak há anos rsss. O técnico belga errou em descartar algumas veteranas da seleção. Freya é uma delas.

      Excluir
    14. Amigo anônimo, paremos hahaha.... mim chama num próximo tópico. Foi divertido rsrsrsrs

      Aos dois últimos, putz..... Me lembro da Croácia de Barbara Jelic e Natasha Leto, duas atacantes de respeito. Jelic encerrou a carreira cedo. Leto (Osmokrovic) mandava cada cravada uma mais top que a outra....

      Sobre a Aelbretch, meu Deus hehehe..... Assisti a um jogo tosquíssimo no Ibira de Brasil e Bélgica. Ela é marrentona demais, adora coçar a virilha e principalmente se exibir... Todas as belgas fazendo um exercício juntas no alongamento, ela fazendo outro. Dentro da quadra e no tempo técnico, dá uma de líder sargentona rsrs... Cheia dos trejeitos... Nesse dia não virava uma bola. Daí quando conseguiu virar uma, comemorou como se tivesse ganhado um título. O público vaiou e depois só ouvi risadas... Depois várias vezes a gente na torcida tirava onde com ela... Uma caricatura total!!!!

      Excluir
    15. Chocado com o depoimento sobre a big shoe belga. Achava que ela era mais controlada kkkkkkk.

      Excluir
  6. França e sua mania de naturalizar jogadores, nesse caso jogadoras. JÁ ganharam duas copas com isso. Até no vôlei não tem capacidade de ter jogadores nacionais de alto nível. Um país tão belo e desenvolvido, mas tão pobre em talentos esportivos. Excessao é o judô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos são originários de ex colônias francesas. Mas isso é na Europa inteira, Itália, Alemanha, Holanda, Bélgica, e até o Japão tem equipe de atletismo com negros, além de chineses em todas as equipes de tênis de mesa do mundo.

      Excluir
  7. Aqui no Brasil até houve uma tentativa da CBV de naturalizar a romena Cristina Pirv. Ela atuava por Minas desde 96 ( se não me engano ) e chegou a receber convite do Bernadinho para participar dos treinamentos da Seleção. Ela só negou o convite do Bernadinho, porque ela já tinha cidadania italiana, e não poderia ter tripla cidadania.

    Me lembro que na época isso virou manchete, porque muitos questionavam se ela não poderia cancelar a italiana para ser naturalizada Brasileira. O caso foi até para juízes, que negaram o pedido. Logo depois disso ela saiu do Minas ( 2002 ), defendeu mais alguns clubes da Itália, se casou com o Giba e parou de jogar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Akin tem tripla cidadania.

      Excluir
    2. ALGUNS países, dentre eles a Itália, não permitem tripla cidadania.

      Excluir
  8. A França não quer mais nadinha ?!
    Ana Cristina um diamante que a muito tempo não se via no volei brasileiro. Acho que se ela continuar evoluindo já e realidade pra Paris 2024. CBV não vacila com essa garota, por favor !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem muito o que a CBV possa fazer. Se for a vontade da atleta não há como impedir.

      Excluir
    2. Exatamente. Se a atleta quer e os pais concordarem, não tem como impedir. Ciça é muito experiente, jogou fora por diversos anos, sabe como funciona as coisas e não se deixa enganar por ilusão. Se ela achar que é o melhor, eles vão assinar.

      Excluir
    3. Ir estudar e jogar em clube é bem diferente de se naturalizar. As chances da Ana em seleção são muito maiores aqui no Brasil do que na França. Espero que a mãe da atleta raciocine e saiba separar as coisas.

      Excluir
  9. As vezes vai jogar para ser titular mais a equipe é fraca e acaba não se destacando

    ResponderExcluir
  10. Um outro exemplo que lembrei é a irmã do Geovanni Gávio, a Gisele Gávio. Foi para a Europa no início da carreira dela, fez história por lá, jogou anos na Itália e tem até a sua camisa ''imortalizada'' num clube em Bergamo. E aqui no Brasil ngm sabe quem ela é ( embora faça anos que ela se aposentou já). A última notícia que vi dela foi que dois clubes europeus queriam ela como técnica do seu time, porém ela declinou alegando que não tem condições físicas mais , devido as cirurgias, de dar treinos intensos e produtivos.

    ResponderExcluir
  11. https://youtu.be/VvT-BWBQ4A8
    Me diga a opinião de vocês: qual a melhor dessas nesse aspecto? E me dêem novos nomes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Akin e Fabizona são as mais rápidas, mas nos últimos anos Eda está jogando melhor do que as duas. Robin é a mais lenta das que aparecem no vídeo, porém é a única que se salva na seleção laranja. Acrescentaria a demônia da Yuan que, apesar de ter 2.01m, é bem rápida.

      Excluir
  12. Ótimo comentário: "A mãe recusou todas as ofertas dos times brasileiros, alegando a pouca idade e a prioridade para os estudos. A falta de apoio à base nunca foi problema para ela. Aguardemos as explicações dos responsáveis."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nem venham comparar com o caso do Leal. O atleta veio para o Brasil escapando das medidas socialistas cubanas e reestruturou a carreira inteira aqui. A naturalização da Ana Cristina, caso ocorra mesmo, será literalmente comprada pela federação francesa visando Paris 2024.

      Excluir
  13. POCs do vôlei querendo se crescer pra cima da Tandara por causa de BBB KKKKKKKKKKK.

    https://webvolei.com.br/2020/04/noite-historica-do-bbb-teve-bate-boca-entre-atletas-do-volei/

    É por isso que fora da bolha a militância gay é uma chacota completa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que país ridículo esse, as pessoas não tem mais o livre arbítrio em suas escolhas e falas.
      - Quem é essa POC Pureza na fila do SUS?
      - Esse Maique deveria se preocupar mais em aprender a dar manchete, porque os Rogerinho e Lukinha estão prontinhos para pegar sua vaga (bem questionável) na seleção.
      - Até gosto da Douglas, mas ela tá ficando bem chatinha ultimamente.

      Como é possível que pessoas com o acesso básico a grande rede, perdem tempo assistindo um lixo chamado BBB. Gente lixo por lixo, melhor o Xvideos e afins.

      Excluir
    2. Douglas Pureza é um flopado doente. Conseguiu relacionar Tandara, BBB, eleição e Tifanny em único tweet KKKKK. Só faltou enfiar o ranking da SL no meio. Depois o covarde arregou e trancou twitter e instagram. Esse frustrado deveria olhar para o próprio fracasso colossal da carreira antes de se crescer pra cima da melhor atacante de vôlei do país atualmente.

      Maique não consegue nem se firmar direito na SL, imagina na seleção KKKKK.

      Douglas fez apenas um torneio decente pela seleção (Mundial), depois voltou a flopar e corre sérios riscos de ficar fora de Tóquio por causa da ascensão do Vaccari (ainda há outros ponteiros que podem evoluir até 2021 como o Kadu).

      É visível que esse tipo de POC caricata só tem coragem de afrontar diretamente mulher. Se fosse o Wallace que tivesse se posicionado em relação ao BBB, por exemplo, as bichas não teriam feito esse teatro todo. Hipócritas.

      Excluir
    3. #NOJO dessa militância cretina. Gays esquecem que antes de serem gays são homens, e odeiam o próprio gênero. Enquanto o homem vai pouco a pouco deixando aquele machismo inútil e forçado de antes, os gays e as feminazis vão acabar fazendo eles resgatarem isso, porque tá ficando cada vez mais insuportável. Só faltava essa, agora tem que gostar de alguém de acordo com as convicções políticas do outro, mesmo se o gay for um asco e a mulher uma vaca. Tiro o chapéu pra Tandara, exemplo de esportista e pessoa!

      Excluir
    4. Ao sentir "nojo dessa militância" não está se igualando aos alvos de sua crítica?

      Excluir
    5. Rapaz, ótima reflexão, viu ?!?! Antes de sair aí defendendo meu discurso querendo ter razão a qualquer custo (como 90% fazem hoje em dia, infelizmente), parei aqui, pensei.... e putz, você está certo!!!
      Ainda que a gente não faça coro contra quem não gostemos, o fato de repudiar já nos iguala sim! Cedo ou tarde, sem perceber, a gente tá tomando atitudes imparciais.
      É lamentável! Militância é um vírus pior que o Covid

      Excluir
    6. Crente em Quarentena3 de abril de 2020 14:45

      Daniel que atitude bonita você acaba de ter xará !!!

      Excluir
    7. "Militância é um vírus pior que o Covid" SIMMMMM

      Excluir
  14. Aos interessados (parece que poucos por aqui gostam do masculino), hoje o SPORTV começa a exibir a campanha do TRI masculino em 2016.
    2/4: 19h Brasil x México 21:30h Brasil x Canadá
    3/4: 19h Brasil x EUA 21:30h Brasil x Itália (esse dia eu pulo) Hehehe
    4/4: 19h Brasil x França 21:30h Brasil x Argentina (tava sedento por esse dia)
    5/4: 19h Brasil x Rússia 21:30h Brasil x Itália (o TRI é nosso!!!!) Uhuuuu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I'm sorry, os horários corretos serão esses:

      QUINTA-FEIRA, 2 DE ABRIL
      19h – Brasil x México
      20h30 – Brasil x Canadá

      SEXTA-FEIRA, 3 DE ABRIL
      20h – Brasil x EUA
      21h30 – Brasil x Itália

      SÁBADO, 4 DE ABRIL
      19h – Brasil x França
      20h30 – Brasil x Argentina

      DOMINGO, 5 DE ABRIL
      19h – Brasil x Rússia
      20h30 – Brasil x Itália

      Excluir
  15. Parece que Smarzek irá mesmo para o Minas. Sheilla será MUITO burra se continuar no clube, pois bancará lindamente para a polonesa a temporada inteira. Acredito que o time não seja louco de deixar a Malwina na ponta para apostar na titularidade da Sheilla na saída, não faz sentido isso. Com Rosamaria podendo ir para o Novara - rumor - e Lorenne para o Rio, é bom Sheilla abrir o olho. Nome tem limite na hora de fechar a lista olímpica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta preguiça de Popcornmary, prefiro mil vezes Lorenne que joga com seriedade e sem bater no peito quando faz um pontinho, mas alguém duvida que o Zé levará Sheilla?

      Excluir
    2. Smarzek iria pro Minas. Fechou com o Novara da Itália. O pior é que não há muitas opções no mercado levando em consideração que o time quer brigar por título mundial.

      Excluir
    3. Vão ter que se contentar com Sheillazek e seus ataques a 20 km/h.

      Excluir
    4. Cancelem a polonesa no Minas, queridas. Ela irá pro Novara e Rosa pode jogar no Japão. Parece que Drews tbm renovou o contrato japonês. Imagina se o Minas cobre a oferta do Oz pra Tandara? KKKKK É bom o time se apressar, pois as principais opostas estrangeiras já começaram a ficar indisponíveis no mercado.

      A apatia da Lorenne jogando me incomoda muito. Prefiro as explosões da Rosa mesmo.

      Excluir
    5. Tandara joga em Osasco pq ama a camisa! Não acredito que ela irá pra outro dia a essa altura, sinceramente.

      Excluir
    6. A vovó do Frajola polonesa só sabe jogar bem na seleção, em clubes nas duas temporadas no Bergamo teve várias atuações abaixo da crítica. Sem contar que teve várias bolas do jogo para eliminar as ogras turcas no pré europeu e pipocou mais que a surtada Pipocamaria. Kkkkkkk

      Queria muito a chicleteiras Drews para que todos vissem que é uma oposta mediana, mas extremamente superestimada.

      Excluir
    7. Acredito que a Tandara pode aceitar sim uma oferta maior do Minas em relação à do Oz. Quem pagar mais, leva. É o óbvio e a atleta está certíssima em valorizar o próprio passe que sustenta a filha pequena.

      Excluir
    8. "vovó do Frajola polonesa" KKKKKKKKKKK Eu AMO esses apelidos espirituosos!

      "A vovó do Frajola polonesa só sabe jogar bem na seleção, em clubes nas duas temporadas no Bergamo teve várias atuações abaixo da crítica. Sem contar que teve várias bolas do jogo para eliminar as ogras turcas no pré europeu e pipocou mais que a surtada Pipocamaria. Kkkkkkk" FATOSSS! Ódio eterno daquele jogo do PO, aff.

      "Queria muito a chicleteira Drews para que todos vissem que é uma oposta mediana, mas extremamente superestimada." SIM! Drews é uma Murphy melhorada, assim como a Lowe. Porém, o jogo da Andrea casaria com o da Macris. Minas poderia tentar a Lippmann, hein? /sonha

      Excluir
    9. Acho que Smarzek não tem cacife pro Novara, assim como Rosa se sobressaiu num time pequeno e não tem peito (ainda que bata tanto nele rsrsrs) para ser protagonista em time de ponta.

      O Minas parece ter dormido no ponto! Vai acabar ficando com Sheilla e trazendo a Buijs hahaha.

      Excluir
  16. Nem acho a Polonesa td isso. Que vcs acham do Minas tentar Brakocevic?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito vôlei, muita experiência, muita bagagem (2a maior pica do Vakifbank depois de Zhuzão ???), mas pouca vontade, tá muito em baixa ela.....

      Excluir
    2. Sinto que logo Brako se aposenta, não a contrataria.

      Excluir
  17. Gustavo não atualiza o blog há alguns dias e as pessoas continuam comentando sobre assuntos aleatórios de vôlei na matéria mais recente. É melhor assim. Ninguém merece aqueles textos mal escritos por terceiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahahahahahahahahaha

      Excluir
    2. Não sou mais de ficar zuando uzôtu, só que foram mal demais mesmo com ortografia e gramática, além de textos muito imparciais..... Comeram melado rsrsrs
      Talvez nem todos foram mal, mas todos levaram a fama rs

      Excluir
  18. O problema da Sheilla é que a jogadora tá se achando demais....tipo, ''sou bi olímpica, sou não sei qtas do grand prix e fiquei 3 anos parada e volto agora sendo rainha''.... Ela tá se esquecendo que nome e grito não assegura vaga. Vide Mari em 2012 naquele corte das Olimpíadas tentou assegurar no grito ( alí tudo bem, pq corte foi injusto, mas fez passagens ridículas depois em Osasco e no time coreano ). Ou Virna, que sempre amarelou em decisões e vivia de grito e marketing. Tem muita oposta mostrando trabalho, e o Minas tá com a filosofia de: '' paguei e não mostra serviço, dispenso contrato''.

    ResponderExcluir
  19. eu acho a LORENNE muito linda, joga muito , mas concordo com uma postagem ai em cima do anônimo, não tem muita vibração.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Obrigado por comentarem aqui, mas peço que vocês façam isso com respeito para mantermos um nível de discussão agradável. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. É um prazer voar com vocês! ;)