Comandado por Natália, Minas supera marcação pesada e vence Sesc-RJ

O Minas voltou a vencer o Rio na Superliga, repetindo o placar do primeiro turno. Na casa das adversárias, as comandadas de Lavarini venceram por 3 sets a 2 (25/23, 18/25, 23/25, 25/21 e 15/11) e se mantiveram isoladas na liderança da Superliga.

Mas não foi fácil, o Rio fez um bom jogo e incomodou o Minas. A equipe de Belo Horizonte sofreu com um dia aquém de Gabi (10 pontos, 10 erros, 6 ataques bloqueados) e inconstâncias de Bruna e Léia, além de um bloqueio bem montado contra a válvula de escape de Macris, a central Carol Gattaz. Tanto que o Minas se perdeu no terceiro set, quando vencia a parcial por 13 a 5 e tomou a virada em um 25 a 23. A tendência é que o Minas entrasse no quarto set desequilibrado, mas o time não se abalou e a partir daí só venceu. Um ponto positivo do Minas é a frieza, voltar lúcido em situações adversas.

Carol Gattaz supera bloqueio de Tatiana Kosheleva (Foto: Divulgação/Sesc-RJ)


O destaque da noite ficou com a ponteira Natália, única jogadora na partida a marcar mais de 20 vezes (foram 21 pontos) com aproveitamento de 50% no ataque. Macris ainda contou com boa atuação de Mara, virando bolas que ela não costuma receber - a levantadora é esperta, compreendeu a marcação do bloqueio pesado do Rio. Com a recuperação de Gattaz (segunda maior pontuadora da partida com 15 pontos) e Bruna no jogo, o Minas voltou a crescer.

Pelo Rio, o retorno de Drussyla dá uma nova cara ao time. A ponteira compõe muito bem especialmente na recepção, é difícil afetá-la neste fundamento. Assim, Kosheleva e Monique ficam mais livres para a definição. Mas se Gabi sofreu do lado de lá, a russa também passou um sufoco, com 13 pontos, mas 7 erros e 6 ataques bloqueados. Ainda assim foi a maior pontuadora do time. E olha, Roberta fez um grande jogo, gosto de como finalmente ela vem trabalhando com as centrais. E Peña entrou bem, fez 11 pontos sem começar nenhum set como titular. A dominicana teve também o melhor aproveitamento de ataque nas extremas, 56%. 

Natália foi a principal pontuadora da vitória mineira (Foto: Divulgação/Sesc-RJ)

Outros jogos

O Fluminense levou a melhor sobre o BRB/Brasília de virada. A equipe do Rio de Janeiro (RJ) venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/27, 25/21, 25/14 e 25/16. A oposta Joycinha se destacou na partida e terminou como maior pontuadora ao marcar 20 vezes.

O Sesi Vôlei Bauru derrotou o Balneário Camboriú por 3 sets a 1 (25/09, 27/25, 27/29 e 25/20), com destaque para a italiana Diouf foi quem mais pontuou no jogo: 29 pontos.

Bauru venceu o lanterna Camboriú (Foto: Marcelo Ferrazzoli)


Em casa, o Dentil/Praia Clube levou a melhor sobre o Osasco-Audax ao fazer 3 sets a 1 (25/23, 25/16, 25/27 e 25/16). A norte-americana Fawcett foi o grande nome do jogo. A oposta saiu de quadra como maior pontuadora – 25 pontos, sendo 23 de ataque e dois de bloqueio.

O Hinode Barueri bateu o Curitiba Vôlei fez 3 a 0, parciais de 25/12, 25/21 e 26/24, em mais uma partida onde Skowronska terminou como maior pontuadora. A oposta marcou 18 vezes, mas foi a líbero Natinha a mais votada no site da CBV que saiu de quadra com o Troféu VivaVôlei.

Depois de perder os dois primeiros sets, o São Cristóvão Saúde/São Caetano virou o jogo e venceu o Pinheiros. O time do técnico Antônio Rizola cresceu ao longo do jogo e fez 3 sets a 2, com parciais de 18/25, 17/25, 25/23, 25/18 e 15/06. 

São Caetano venceu Pinheiros de virada (Foto: A.A. São Caetano Voleibol)

Classificação

  1. Minas - 52 pts *
  2. Praia Clube - 50 pts *
  3. Sesc - 39 pts
  4. Barueri - 38 pts *
  5. Bauru - 34 pts
  6. Osasco - 33 pts *
  7. Fluminense - 24 pts *
  8. Curitiba - 23 pts
  9. São Caetano - 18 pts
  10. Pinheiros - 17 pts
  11. Brasília - 14 pts
  12. Camboriú - 9 pts *
*Um jogo a menos

Praia Clube reduziu desvantagem contra o Minas para dois pontos (Foto: divulgação/Praia Clube)

Comentários

  1. Como eu gosto da macris queria muito que ela fosse a levantadora titular da seleção brasileira

    ResponderExcluir
  2. O Minas bobeou no terceiro set. Era para ter matado o jogo. Essa instabilidade nos momentos de fechar os sets e a dificuldade de jogar na frente do marcador me preocupam. Ainda bem que a resiliência está presente na maioria das vezes e faz o time não se abalar por essas viradas. Mesmo assim, considerando tudo que o Rio representa, não quero que o meu time pegue elas na semi final. Prefiro até que fique em segundo se o Rio ficar em quarto.

    ResponderExcluir
  3. A diferença de pontuação dos times de Minas pro resto é muito grande. Desse jeito vai acabar perdendo a competitividade e o equilíbrio.

    ResponderExcluir
  4. Difícil o Minas cair nos playoffs!O time é bem mais forte e nesse momento o Praia está no nível do Barueri, Bauru, SESC e Osasco

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Nós agradecemos muito por vocês comentarem aqui. Mas precisamos pedir que vocês façam isso com respeito. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. Torçam à vontade, a favor e contra seleções, times e jogadoras. Mas vamos manter essa ferramenta como uma caixa apropriada e divertida para conversarmos, ok? ;)

Obrigado pela colaboração de todos, é um prazer voar com vocês! <3