Karsta Lowe retorna oficialmente às quadras em convocação dos EUA para a Copa Pan-Americana

Os Estados Unidos podem ter um reforço importante para a seleção principal. A oposta Karsta Lowe está oficialmente de volta às quadras, depois de mais de um ano sem jogar. Graduada em arquitetura, Lowe deixou a seleção após o bronze da Rio 2016 para dedicar-se a um mestrado, mas resolveu pausá-lo. Com apenas 25 anos e 1m96, a oposta sentiu falta das quadras:

“Embora eu realmente tenha gostado do meu curso na USC, eu senti falta da competição esportiva e do desafio físico. Eu nunca encontrei nada parecido com o vôlei em minhas outras atividades. A energia contagiante e a concorrência são difíceis de superar”, disse Lowe.

Karsta Lowe está oficialmente de volta à seleção (Foto: FIVB)


Sentindo falta das quadras, Lowe decidiu pausar o mestrado e retornar ao voleibol. E espera crescer muito diante de novo desafio. A oposta conta que conversou com Karch Kiraly e com algumas colegas de equipe, que a apoiaram na decisão. E já faz planos para o futuro:

“Acredito que quando deixei a equipe depois das Olimpíadas, ainda não havia alcançado meu potencial. Eu gostaria de ver o quanto eu posso melhorar desta vez e ajudar de qualquer forma a levar o time todo para o ouro em Tóquio. É claro que tenho muito trabalho para entrar em na lista com a equipe dos EUA, mas estou animada e pronta para qualquer desafio que esteja à espera”, finalizou Lowe.

O técnico dos EUA comemorou o retorno da oposta:

“Estamos muito felizes em receber Karsta de volta ao nosso time. Em seu período anterior com a nossa equipe, Karsta demonstrou a capacidade de se desenvolver como uma oposta de alto nível mundial", disse Kiraly.

A convocação dos EUA


25 nomes estão na pré-seleção de Kiraly para a Copa Pan-Americana, que acontecerá entre os dias 8 e 14 de julho. Confiram:

Levantadoras: Lauren Carlini, Kelly Hunter, Jordyn Poulter
Opostas: Karsta Lowe, Aiyana Whitney, Krystal Rivers, Brittany Abercrombie, Carly De Hoog
Ponteiras: Sarah Wilhite, Annie Mitchem, Madison Kingdon, Simone Lee, Adora Anae, Kadie Rolfzen
Centrais: Inky Ajanaku, Chiaka Ogbogu, Hannah Tapp, Paige Tapp, Molly McCage, Haleigh Washington, Carly Wopat
Líberos: Amanda Benson, Caroline Knop, Kristen Tupac, Justine Wong-Orantes

Paige Tapp e Lauren Carlini voltam a jogar juntas na seleção americana (Foto: Norceca)

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto da Lowe. Dentre as canhotas, sempre me pareceu a mais promissora. É nova, alta...
    Acho que com ela o time americano fica mais forte. Ela precisa de uma constância maior, coisa que um bom técnico poderia tirar dela. Com o atual panorama dos EUA, não duvido que no Mundial o Killary vá apostar em 3 opostas e 3 ponteiras, já que Robinson está de Líbero.

    Agora nessa lista pra copa pan americana tem 2 nomes muito importantes pra sequência da seleção americana: Ogbogu e Ajanaku. Essas centrais são muito boas. Vamos ver como se sairão internacionalmente, mas ao meu ver, se equiparam a Gibb e Adams e são superiores à Dixon. Foluke é outro nível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Com o atual panorama dos EUA, não duvido que no Mundial o Killary vá apostar em 3 opostas e 3 ponteiras, já que Robinson está de Líbero." Difícil ele levar 3 opostas canhotas (Murphy, Lowe e Drews), duas já é demais. Entre as duas opostas convocadas, o ideal seria o Kiraly apostar em uma destra para que ambas não tenham as mesmas características. Mas o Karch não fará isso e vai cometer o mesmo erro da Rio 2016 no Mundial.

      Excluir
    2. E de fato não levou, Drews e Murphy foram escolhidas. Nicollas, se você acompanhou os jogos do EUA você deve ter visto que Rachel está péssima, não vejo Dixon abaixo dela de forma nenhuma. Inclusive nos últimos jogos da Lida das Nações Adams foi a que mais errou diante da Servia.

      Excluir
    3. Rachael sempre foi mediana, piorou bancando direto no Ecz. E isso vai acontecer tbm com a Gibbemeyer.

      Excluir
  3. Vem atacar mais pipes da rede, Lowe! hahaha Ela se afastou do esporte pelo trauma daquele tie épico contra a Sérvia na Rio 2016.
    Mais uma das opostas canhotas pipoqueiras do Kiraly. Junta Lowe, Murphy e Drews e não dá uma Hooker no auge. Com a volta da Lowe, quem roda na seleção é a Drews que é extremamente mediana. A Murphy é uma toqueira, mas só Deus sabe pq até hoje tem costas quentes com o Karch. Fawcett e Hooker não teram chances no time principal do US enquanto o Kiraly for técnico.

    ResponderExcluir
  4. Isso é incrível! Convoca uma jogadora que passou um ano parada enquanto outras que estão no auge não são sequer cotadas! Misericórdia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Murphy ficou um ano parada pra estudar e voltou como titular nessa VNL, enquanto Hooker e Fawcett que fizeram uma boa temporada na Superliga não foram chamadas. Não dá pra entender a teimosia do Kiraly, ele consegue ser mais cabeça dura do que o Zé.

      A Lowe não joga desde agosto de 2016 e vai voltar agora em julho na Copa Pan-Americana. Ou seja, são praticamente dois anos parada.

      Excluir
    2. Gostaria muito que a Krystal Rivers tivesse chance nessa copa pan americana, sem dúvidas ela não sairia mais do time titular, inclusive da seleção principal.

      Excluir
  5. Dps nao vem falar q nao tem tara por jogadoras canhotas, essa dai nem jogando tava e ja ta de volta pra seleçao, enquanto fawcett nada ...

    ResponderExcluir
  6. Ela é muito boa jogadora, e junta com a Murphy vão dar mais opção para o time do eua.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Nós agradecemos muito por vocês comentarem aqui. Mas precisamos pedir que vocês façam isso com respeito. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. Torçam à vontade, a favor e contra seleções, times e jogadoras. Mas vamos manter essa ferramenta como uma caixa apropriada e divertida para conversarmos, ok? ;)

Obrigado pela colaboração de todos, é um prazer voar com vocês! <3