Osasco se perde e cai para 7º, Flu cresce e Sesc faz 'jogo de equipe' contra Bauru

Começa hoje (30) a 5ª rodada da Superliga Feminina com quatro jogos - Praia e Minas já estão na China para a disputa do Mundial de Clubes e seus jogos contra Bauru e Fluminense respectivamente só acontecerão em 08 de janeiro. Mas antes, claro, comentamos nossa impressão sobre a 4ª rodada.

Claro que o resultado mais notável é a vitória simples do Fluminense sobre o Osasco por 3 sets a 0. Não surpreende tanto, o Flu tem um elenco muito bom, veio para brigar e Osasco claramente perdeu força desde a temporada passada. A equipe osasquense é boa, mas falta aquela jogadora especial, aquela que chama a definição. Hooker pode se tornar essa jogadora no futuro, mas ainda não é - fez 12 pontos com 35% de aproveitamento em ataques. Quem sobra em Oz é Mari Paraíba, principal pontuadora da partida com 16 pontos. Pelo Flu, o time desse ano parece melhor do que o anterior e Joycinha e Pri Daroit dividem a responsabilidade na definição com Thaisinha. Giovana, que é uma boa levantadora, está mais solta e com mais opções, assim o Fluminense segue em crescente. Osasco não encanta, tem uma oposta pouco eficiente e uma ponteira de definição (Leyva) que varia entre grandes e fracas atuações. Falta um "fator x" a Osasco.

Claudinha e Mari Paraíba se confundem em lance do jogo (Foto: João Pires / Fotojump)


Fator x tem o Rio: e a equipe mais colaborativa da Superliga mais uma vez. Ter uma central aos 37 anos como maior pontuadora do time em um clássico extremamente acirrado, com 74% de aproveitamento no ataque é prova de um trabalho raro e bem feito por uma equipe. Juciely provou que é possível, marcando 18 pontos no jogo contra Bauru. As estrangeiras ajudaram, longe do protagonismo de Jucy, Kosheleva e Peña fizeram 17 cada. Agora, me pergunto se Monique resistirá como passadora até o final da temporada... Por Bauru, Anderson tem que resolver o problema com suas ponteiras logo! Nenhuma delas inspira confiança, Tifanny "desapareceu" tecnicamente, Vanessa deixou uma bola de toque encobri-la em um tie-break e Edinara pontuou mais para o Sesc do que para o Bauru. Tenso! Precisamos dizer que Palacio fez muita falta, mas Drussyla também faz, então 0 a 0. Diouf tá lidando com a definição quase sozinha nas extremas e assim complica.

Juciely foi destaque na vitória do Rio sobre Bauru (Foto: Carlos Erbs/EJR Photos)


Falando em complicar, Balneário bateu em Barueri na rodada, levando o time para o quinto set e perdendo apenas no vigésimo ponto do tie-break. Luta justa de Camboriú e ponto que pode ser importante no futuro. Atuação de gala de Ivna Marra, dona de 35 pontos contra o time de Zé Roberto. O Minas teve competência para anular o Pinheiros, jogo fácil fora de casa por 3 a 0 e o Praia deu o mesmo presente ao Sanca. Por fim, Curitiba venceu um jogo importante que pode significar sua permanência na temporada 2019/2020. Confiram os resultados:

Minas segue sem intacto na Superliga (Foto: divulgação/MTC)

Superliga Feminina - 4ª Rodada

27.11 – Sesc RJ 3 x 2 Sesi Vôlei Bauru (25/23, 22/25, 21/25, 25/16 e 21/19)
MP: Juciely (18) | Diouf (23)

26.11 – São Cristóvão Saúde/São Caetano 0 x 3 Dentil/Praia Clube (14/25, 26/28 e 23/25)
MP: Segovia (14) | Fawcett (17)

27.11 – Pinheiros 0 x 3 Minas Tênis Clube (17/25, 17/25 e 19/25)
MP: Herrera (15) | Gabi (13)

27.11 Osasco-Audax 0 x 3 Fluminense (21/25, 23/25 e 22/25)
MP: Mari Paraíba (16) | Joycinha (14)

27.11 – Balneário Camboriú 2 x 3 Hinode Barueri (21/25, 22/25, 25/15, 25/22 e 18/20)
MP: Ivna (35) | Skowronska (25)

27.11 – Curitiba Vôlei (PR) 3 x 1 BRB/Brasília Vôlei (17/25, 25/16, 25/23 e 25/11)
MP: Sabrina (19) | Neneca (11)

Classificação


  1. Praia Clube - 5v, 14 pts *
  2. Minas - 4v, 12 pts
  3. Sesc - 4v, 10 pts
  4. Barueri - 3v, 7 pts
  5. Fluminense - 2v, 7 pts
  6. Curitiba - 2v, 7 pts
  7. Osasco - 2v, 7 pts
  8. Pinheiros - 2v, 5 pts *
  9. Bauru - 1v, 4 pts
  10. Brasília - 0v, 1 pt
  11. Camboriú - 0v, 1 pt
  12. São Caetano - 0v, 0 pts

*um jogo a mais

Quinta rodada do turno

30.11 (SEXTA-FEIRA) – BRB/Brasília Vôlei (DF) x Balneário Camboriú (SC), às 20h, no Sesi Taguatinga, em Brasília (DF)

30.11 (SEXTA-FEIRA) – Curitiba Vôlei (PR) x São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), às 20h, na Univ. Positivo, em Curitiba (PR) – Canal Vôlei Brasil

30.11 (SEXTA-FEIRA) – Pinheiros (SP) x Sesc RJ, às 20h, no Henrique Vollaboin, em São Paulo (SP)

30.11 (SEXTA-FEIRA) – Hinode Barueri (SP) x Osasco-Audax (SP), às 21h30, no José Correa, em Barueri (SP) – SporTV 2

08.01 (TERÇA-FEIRA) – Sesi Vôlei Bauru (SP) x Dentil/Praia Clube (MG), às 19h30, no Panela de Pressão, em Bauru (SP)

08.01 (TERÇA-FEIRA) – Fluminense (RJ) x Minas Tênis Clube (MG), às 20h, no Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ)

Praia Clube e Minas fazem pausa na Superliga para disputar Mundial de Clubes (Foto: divulgação/Dentil PC)

Comentários

  1. O Fluminense não fez mais que sua obrigação! Depois de tomar viradas incríveis no tie break na final do Campeonato Carioca contra o SESC, depois mais viradas contra o Pinheiros e o Hinode Barueri na Superliga, o Fluminense tinha que tomar vergonha na cara e conseguir um resultado condizente com o investimento que fez e o elenco forte que montou. A torcida tricolor já estava ficando impaciente com esses revezes, nos quais o Flu começava bem a partida e permitia tomar a virada do adversário.

    ResponderExcluir
  2. Uma correção: na verdade, o Praia Clube não está na China ainda. O time fez uma parada na Itália, para adaptação ao fuso horário, onde fará um amistoso contra a equipe de Chieri. O Minas sim já está na China.

    ResponderExcluir
  3. Acho que a Monique (e as comissões técnicas) deveriam ter investido nessa posição de oposta passadora antes. Ela tá passando melhor que muita ponteira, não acho que vai demorar muito até ela conseguir se firmar nessa posição, mas diria que ela se destaca muito mais na defesa. Vejo ainda que ela tem aquele preciosismo de passar na mão da levantadora e a bola acaba passando de quadra quando, às vezes, é melhor so jogar pra cima. Quando a Drussyla se recuperar quero ver como vai ficar, pq ela é a mais completa, a Peña não tá perdoando e a Kosheleva, nas condições ideais, e uma das melhores atacantes do mundo (ainda que as estrangeiras não sejam muito boas de passe). Ela passando na saída e Tandara jogando na entrada seria uma formação interessante. O que me deixou mais feliz foi a Juciely, espero que volte ao seu melhor voleibol.

    ResponderExcluir
  4. Quem diria Ivna tbm conhecida como a exterminadora de pombos marcando 35 pnts.
    Agora Sesc vs Sesi que jogo horrível de se assistir,pior ainda o arbitro.Que ainda por cima deixou passar no ùltimo ponto um DOIS toque da Roberta para a Peña.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, o jogo da dó de assistir e aquele árbitro... Nem em minicampeonato de escola no interior.

      Excluir
  5. Gustavo, como podemos ver no site da Superliga as estatísticas de aproveitamento por porcentual? Só consigo encontrar os números absolutos de ataque naquelas tabelas. Não vejo quantidade de bolas recebidas e erros de ataque por jogadora para saber se aqueles pontos convertidos significam bom aproveitamento ou não.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Nós agradecemos muito por vocês comentarem aqui. Mas precisamos pedir que vocês façam isso com respeito. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. Torçam à vontade, a favor e contra seleções, times e jogadoras. Mas vamos manter essa ferramenta como uma caixa apropriada e divertida para conversarmos, ok? ;)

Obrigado pela colaboração de todos, é um prazer voar com vocês! <3