Liderada por Fabris e com Popovic na ponta, Croácia bate Grécia e é campeã dos Jogos do mediterrâneo

Terminou no último dia 1º a XVIII edição dos Jogos do Mediterrâneo, em Tarragona, Espanha. E surpreendendo, a Croácia sagrou-se campeã do torneio ao bater a Grécia por 3 sets a 1, mesmo com Itália e Turquia com equipes B. 

A Croácia jogou com um formato atípico: Samanta Fabris na saída e a experiente Sanja Popovic-Gamma atuando como ponteira passadora. Ambas as jogadoras são opostas e a Croácia sofre com o fato de não produzir boas ponteiras como faz com as opostas. Fabris e Popovic chegaram a se revezar no Mundial 2014, inclusive. A Croácia ainda esteve desfalcada da ponteira Mia Jerkov.

Samanta Fabris foi a maior pontuadora do torneio com 217 pontos (Foto: CEV)

A competição

Da fase de grupos avançaram: Grécia e Itália do A, Chipre eliminado; Turquia e Espanha do B, Bósnia e Herzegovina eliminada; Croácia e França do C, Albânia eliminada; e Eslovênia e Portugal do D, Argélia eliminada.

Nas quartas de final, um confronto que todos esperavam na final: Turquia x Itália. E as turcas levaram a melhor, batendo as italianas por 3 sets a 1. A ponteira Saliha Sahin foi o destaque do jogo com 19 pontos, enquanto a também ponteira Camilla Mingardi fez 14 pela Itália. Nos outros jogos, a França surpreendeu a Eslovênia (3x2), a Grécia eliminou a anfitriã Espanha (3x1) e a Croácia bateu Portugal (3x1).

Duas semifinais para cardíacos. A Grécia bateu a França de virada por 3 sets a 2, em um grande jogo da central Juliette Fidon, maior pontuadora do jogo com 24 pontos. Na Grécia, a oposta Anthi Vasilantonaki fez 19. Já a Croácia venceu as favoritas ao título, a Turquia, também por 3 sets a 2. Fabris jogou praticamente sozinha, com 25 pontos pela Croácia, enquanto a ponteira Tugba Senoglu fez 18 pela Turquia.

A Grécia até chegou a ameaçar a Croácia na final, mas não resistiu ao bom jogo croata, comandado por Fabris (21) e Popovic (14): Croácia 3 x 1.

Croácia comemorou o título (Foto: Tarragona 2018)


O título é o segundo na história da Croácia, que venceu pela última vez em 1993. A Itália lidera absoluta com sete títulos e ficou de fora do pódio pela primeira vez em 25 anos - justamente em 1993, quando a Croácia foi campeã. Turquia, Albânia e a extinta Iugoslávia tem um título cada. 

Comentários

  1. Vai ser muito comum logo logo selecoes jogarem c duas opostas de origem ao mesmo tempo, ja as atuais ponteras passadoras de passadoras nao tem nada.

    ResponderExcluir
  2. O cenário do volei está muito carente de ponteiras de qualidade a bastante tempo. As boas ponteiras que surgem não tem estatura no padrão necessário.
    As vezes são boas de passe e são ruins de ataque e vice-versa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades Sokolova e Artomonova completas no passe e ataque. Sokolova no auge foi a melhor ponteira que já vi atuar. Mesmo naquele jogo em Londres 2012 com 35 anos ela saiu de quadra com 28 pontos e maior pontuadora, recebendo a maioria absoluta dos saques brasileiros. Quis o destinho que ela, que tanto nos fez chorar pelos mundiais e Atenas 2004, falhasse nos dois últimos passes, o que foi bom para nós. Garay inspirada naqueles saques. Outras jogadoras que eram boas em todos os fundamentos eu me lembro da Logan Tom e da Sonsirma (não tão craque, mas regular em todos os fundamentos). A última grande jogadora que surgiu espetacular no ataque e regular no passe foi a sul coreana Yeon Koung Kim, que nessa mesma olimpiada de Londres carregou a Correia Do Sul nas costas até o quarto lugar. De fato hoje se observa ponteiras muito boas em determinados fundamentos e péssima em outros, vide a Zhu, melhor jogadora do mundo na atualidade, atacante espetacular, mas muito irregular no passe. Outras como Jaqueline e Larson, dominam o fundo de quadra, mas não são tão boas na rede. No que pese a idade, mas mesmo no auge nunca foram atacantes brilhantes. Da Jaque me lembro da Final de Londres e a Larson um ou outro jogo na Champions 2014/2015 nos quais ambas resolveram e foram as principais pontuadoras do time.

      Excluir
    2. Jaque:
      - FINAL DE LONDRES
      - Mundial 2014 FOI MELHOR QUE GARAY E SHEILLA NO ATAQUE.
      - Levou o Minas ao 4° lugar da SL
      Larson,Jaque,Sokolova,Logan Tom,Artamanova,Kim Yeon,Sonsirma SÃO TALENTOS que SÓ NASCEM UMA VEZ SÓ! No vôlei Mundial acredito que só a BARTSCH possa fazer IGUAL! Tinha esperanças com a Ismailoglu e Dally Santana, mas provaram ser jogadoras MEDIANAS!

      Excluir
    3. Bartsch não passa bem.

      Excluir

Postar um comentário

Oi, gente!

Nós agradecemos muito por vocês comentarem aqui. Mas precisamos pedir que vocês façam isso com respeito. Ofensas pessoais à jogadoras e a outros membros não serão aceitas. Torçam à vontade, a favor e contra seleções, times e jogadoras. Mas vamos manter essa ferramenta como uma caixa apropriada e divertida para conversarmos, ok? ;)

Obrigado pela colaboração de todos, é um prazer voar com vocês! <3